Renda Variável: Guia para investir com segurança

É possível investir em renda variável de maneira consciente e segura, saiba como.

Investir pode ser considerado tabu para grande parte da população brasileira. E mesmo dentre aqueles que já se aventuraram no mercado de investimentos, há quem não se atreva a entrar para o universo da renda variável. Por isso, estamos aqui para falar um pouco sobre as vantagens e desvantagens dessa atividade.

É possível caracterizar duas modalidades de investimento, a renda fixa e a renda variável.

 

Renda variável: o que é?

Essencialmente, renda variável é um tipo de investimento no qual você não sabe quanto receberá de volta.

Os cálculos de rentabilidade não são pré-definidos. Isso aumenta a periculosidade dos investimentos, que em relação à renda fixa, são considerados de alto risco.

 

Renda variável e renda fixa: qual a diferença?

Já no caso da renda fixa é possível pré-definir a taxa de rentabilidade. Isso não significa que você sabe exatamente o que irá receber, mas, necessariamente qual a porcentagem de rendimento. Há casos em que os rendimentos são fixos, mas são específicos e são conhecidos como prefixados.

Caderneta de Poupança, os Fundos DI e de Renda Fixa, Títulos Públicos e CDBs são alguns dos investimentos mais populares em renda fixa. Em todos esses casos é possível definir previamente o quanto o contrato irá render.

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), destacou que o volume de captação em renda variável no ano de 2019 é o terceiro maior desde 2002. A queda nos juros valoriza ainda mais essa forma de investimento em detrimento da renda fixa, na qual é possível zerar o seu rendimento, se não considerar alguns aspectos na hora de escolher a aplicação.

No caso da compra de ações, é possível ainda analisar o histórico de valorização de uma empresa na qual se deseja investir e, a partir disso, perceber o grau de risco de tal ação.

Isso faz com que um investidor de perfil conservador tenha parâmetro e mais segurança na hora de dar o seu lance. A complexidade de investimentos em renda variável pode ser de maior e de menor grau.

 

Renda variável: vantagens e desvantagens desse tipo de investimento

Por que, então, me dar ao trabalho de dar um salto sem saber exatamente se conseguirei firmar os pés novamente, ao passo que é possível fazer uma aplicação na qual posso combinar os juros que receberei no ato da contratação, como é o caso da renda fixa?

Simples, na renda variável, os rendimentos podem ser muito maiores, e o tempo de retorno muito menor.

É claro que o risco é sempre presente, afinal de contas, os ativos de renda variável são muito sujeitos às oscilações do mercado e podem sofrer mudanças a qualquer momento.

Essas oscilações são causadas por diversos motivos, os quais afetam o mercado de maneiras diferentes. Estudar esses vetores de mudança pode ser determinante para comprar um ativo de potencial e ser bem-sucedido.

Apetite de investidores para venda ou compra, cenário sociopolítico, especulações e expectativas do mercado e setor de atuação são alguns dos fatores que precisam ser considerados na hora fazer a aplicação.

 

Dicas para começar a investir em renda variável

Para fazer a aplicação, independente do modelo de renda de sua escolha, é preciso procurar uma corretora de valores. Esta fará a ponte nas operações que desejar.

Essa ponte é erguida com o objetivo de mediar pessoas ou empresas que desejam investir e a bolsa de valores, bancos ou fundos de investimento.

Para fazer essa mediação, a corretora cobrará uma taxa que é chamada de taxa de corretagem.

É muito importante que o valor desse custo seja baixo, porque ele irá impactar diretamente na rentabilidade do investimento. Há até corretoras que reduzem a zero esse custo, mas cuidado, é também importante procurar um lugar de confiança para as operações.

O valor da corretagem varia de acordo com a operação que o cliente deseja fazer. A Tabela Bovespa, a taxa de custódia, o ISS (imposto sobre serviço) e o imposto de renda são fatores a considerar.

 

Ações

Quando se fala em investimento, é natural que uma das primeiras coisas que venha à mente é o mercado de ações, e não há nada de errado com isso. A verdade é que esta pode ser uma boa maneira de chegar ao universo da renda variável.

As ações nada mais são do que pequenos pedaços de empresas que são disponibilizados para compra. Parece óbvio, mas, ao efetuar essa compra, você se torna dono desse pequeno pedaço da empresa.

Para usar terminologia correta, as empresas que possibilitam essa compra são chamadas empresas de capital aberto. O principal objetivo das empresas ao abrirem seu capital é adquirir recursos para que elas possam expandir. Na maioria dos casos, isso é muito mais vantajoso do que se endividar fazendo um empréstimo, por exemplo, para conseguir executar algum projeto que demande mais capital.

Para quem compra uma ação, são duas as principais possibilidades: fazer parte dos dividendos da empresa, ou avaliar o mercado e revender esta ação com margem de lucro. Naturalmente, o valor de uma ação se dá, na maioria dos casos, pela relação entre oferta e demanda.

Dividendos são partes do lucro de uma empresa, e para aqueles que querem continuar donos do seu pedaço e recebendo sua fatia, vale ressaltar que esses dividendos estão diretamente relacionados ao desempenho, bom ou ruim, da empresa. Caso ela esteja lucrando pouco, menor, ou até zero, pode ser o rendimento. Se elas estiverem lucrando bastante, os acionistas recebem mais.

Apesar de o risco em curto prazo e a grande oscilação no preço, como já estabelecido aqui, ao passo que a ação é um ativo real, ela dá possibilidade de fazer parte da rentabilidade futura da empresa.

Além deste, alguns dos ativos de renda variável mais conhecidos são o ouro, câmbio, commodities, derivativos, ETFs, fundos imobiliários, opções e criptomoedas.

O mercado de renda variável é diverso, complexo e em alguns momentos arriscado, mas isso não é problema para quem investe em educação financeira. O site da Capital Research é ideal para você que deseja investir com segurança e aprender mais sobre o mercado.

Recomendados

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

3 meses atrás

Investimentos

Capital especulativo: como funciona e como ganhar dinheiro

Entenda mais sobre esse tipo de ação de mercado e conheça melhor suas vantagens e ...

1 mês atrás

Investimentos

Capitalização simples: entenda o conceito e impactos nos investimentos

Saiba mais sobre a capitalização simples, como calcular e qual sua utilidade para o ...

1 mês atrás